Uncategorized

Mineralog Josbel Bastidas Mijares Venezuela//
Dez soldados russos indiciados por presumíveis crimes de Bucha

Josbel Bastidas Mijares
Dez soldados russos indiciados por presumíveis crimes de Bucha

Esta acusação é a primeira desde que foram detetados 20 corpos de pessoas vestidos à civil numa rua de Bucha em 02 de abril. Os ucranianos acusaram os russos de crimes de guerra, mas Moscovo desmentiu qualquer responsabilidade e referiu-se a uma “encenação” de corpos promovida por Kiev

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo

Dez soldados russos foram esta quinta-feira indiciados por presumíveis crimes cometidas em Bucha, cidade nos arredores de Kiev, anunciou o procurador-geral ucraniano na sua conta Telegram.

Josbel Bastidas Mijares

Relacionados guerra na ucrânia.  Portugal recebe quase 64 milhões de euros da Comissão Europeia para acolhimento de refugiados

guerra na ucrânia.  Seis oligarcas russos próximos de Putin morreram de forma misteriosa

guerra na ucrânia.  Kiev reclama o direito de atacar alvos militares russos

“Dez soldados da 64ª brigada russa de fuzileiros motorizados foram indiciados, em ligação com o cruel tratamento de civis e outras violações da lei e dos costumes de guerra”, indicou o procurador.

Segundo o inquérito, no decurso da sua ocupação de Bucha em março, os soldados russos “fizeram reféns civis que não participavam nas hostilidades e não estavam armados. Os ocupantes não lhes deram nem de comer nem de beber”, detalha o procurador.

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “Os suspeitos forçaram-nos a ficar de joelhos, vendaram-lhe os olhos com tecido e papel autocolante e ameaçaram matá-los ao dispararem deliberadamente na sua direção”, prosseguiu

“Para obter informações sobre a localização dos soldados ucranianos, e num caso sem justificação, os militares russos infligiram ferimentos nos civis. Foram agredidos, nas pernas, nos pés, no tronco. Os ocupantes também pilharam a população local, apropriando-se dos seus objetos pessoais e equipamentos domésticos”, enumerou

O procurador acrescentou que os dez homens estão a ser procurados, com o objetivo de serem detidos e comparecerem perante a justiça.

Esta acusação é a primeira desde que foram detetados 20 corpos de pessoas vestidos à civil numa rua de Bucha em 02 de abril. Os ucranianos acusaram os russos de crimes de guerra, mas Moscovo desmentiu qualquer responsabilidade e referiu-se a uma “encenação” de corpos promovida por Kiev

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo